segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

ARQUEOLOGIA





ARQUEOLOGIA

Trabalhos e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro

“Nunca afirmes nada nem faças juízos de valores,
 sem conheceres os fatos comprovados e reais”

A Arqueologia é uma ciência cuja seriedade não se compadece com amadorismos e improvisações ditadas por fluídos/efluídos. A Arqueologia é uma forma de História e não uma simples disciplina auxiliar. Os dados arqueológicos são documentos históricos por direito próprio e não meras abonações de textos escritos. Exatamente como qualquer outro historiador, um arqueológico estuda e procura reconstruir o processo pelo qual se criou o mundo em que vivemos, e assim nós próprios, na medida em que somos criaturas do nosso tempo e do nosso ambiente social. Os dados arqueológicos são constituídos por todas as alterações no mundo material resultante de ação humana, ou melhor, são os restos materiais da conduta humana. O seu conjunto constitui os chamados Testemunhos Arqueológicos. 


Estes apresentam particularidades e limitações, cujas consequências se revelam no contraste bem visível entre a história arqueológica e a outra forma usual de história, baseada em documentos escritos. Apesar de tudo, a moderna Arqueologia, aplicando técnicas apropriadas e métodos comparativos, ajudada por alguns curiosos achados em turfeiras e em desertos ou regiões geladas, é capaz de completar uma boa parte destes vazios. O que irreparavelmente desapareceu foram os pensamentos que não se exprimiram nem as intenções que não se executaram.
Acaso este ponto de vista invalidará a afirmação de que a arqueologia é uma forma de história? De modo nenhum!
A Arqueologia ainda guarda processos que ainda não estão concluídos ou por outro qualquer motivo ainda não puderam ser divulgados.

Fontes consultadas: Livros académicos, crónicas
 em jornais e revistas.
Trabalho e pesquisa de Carlos Leite Ribeiro 
 Marinha Grande – Portugal